+
Japan House 2018-07-11T15:55:08+00:00

Project Description

Japan House

Dados Técnicos

Localização: São Paulo, SP – Brasil

Tipo de Construção: Institucional

Área do terreno: Reforma

Área construída: 9.900m²

Início do projeto: 2015

Conclusão da obra: 2017

Equipe

Kengo Kuma & Associates + FGMF Arquitetos

Autores: Kengo Kuma, Fernando Forte, Lourenço Gimenes, Rodrigo Marcondes Ferraz

Coordenadores: Gabriel Mota, Sonia Gouveia

Colaboradores: Alessandra Musto, Desyree Niedo, Fernanda Veríssimo, Joel Bages, Mariana Leme, Talita Broering, Tatiane Garcia, Wanessa Simoe

Estagiários: Isabel Ventre, Pedro Ocanhas, Rafael Colombo

Fotógrafos: Rafaela Netto

Projeto de Interiores – Kengo Kuma & Associates

Construção – TODA Construtora

Construção Fachada de Madeira “Hinoki” – Construtora Nakashima

Projeto de Estrutura e Fundações – Benedictis Engenharia e SLV Engenharia de Projetos

Hidráulica e Elétrica / Electrical and Plumbing Engineer – Mina Montagens Eletromecânicas

Luminotécnico – Castilha Iluminação

Paisagismo – Alex Hanazaki

Acústica – Harmonia Acústica

Automação – Studiolo

Climatização – Mina Montagens Eletromecânicas

Fornecedores:

Mesas e cadeiras restaurante – Kengo Kuma + Aristeu Pires

Cadeira de café – Aristeu Pires

Sofá – Decormade

Vidros – Imagem Vidros e Espelhos Ltda

Divisórias  – Dimoplac Divisórias Moduladas Ltda

Cobogós – Stone Arte em Pré Fabricados

Revestimento de Pisos – Portobello S/A

Divisória dos Banheiros – Hunter Douglas do Brasil Ltda

Elementos Vazados – Neo-Rex do Brasil Ltda

Estruturas Metálicas Portão – Rigofer Ferragens Ltda Me

Cercas de Bambus – Kanela Bambu Design Ltda

Peças Sanitárias – Toto do Brasil

Elevadores – Mitsubishi Eletric

Forro Sonex – Isar Engenharia e Montagens Ltda

Piso Fuget – Master Plate Pisos Ltda Epp

Cortinas – Hilda Decoraçõe­­s

O projeto é uma parceria Kengo Kuma + FGMF.

Centrado na figura do Japão, do ponto de vista de identidade, mas tam­bém traz uma contribuição local, não só através da nossa força de trabalho, mas tam­bém através de elementos brasileiros que foram incorporados na arquitetura.

Estruturalmente falando, as maiores intervenções foram a instalação da caixa de es­cada e elevadores. Com grande trabalho de reforços estruturais, de cortes de ele­mentos para o edifício de concreto armado, que já tem décadas de existência. A premissa foi entender como era a estrutura existente.

A fachada traz uma homenagem à arquitetura modernista brasileira, por meio dos cobogós feitos de concreto com fibra de altíssimo desempenho, fino e resistente ao mesmo tempo. Além disso, a fachada também conta com madeira japonesa, fabri­cada e montada no Japão e remontada no Brasil, através de uma técnica milenar da cultura oriental, junto com uma tecnologia nova de fibra de carbono.

Um dos desafios do projeto foi garantir conforto térmico à edificação, uma vez que a Japan House receberá exposições, aulas, palestras, entre outros eventos. Além disso, buscamos o máximo possível de iluminação natural, garantindo a entrada de luz do dia mesmo nos locais em que foi colocada proteção contra a insolação.

O programa foi divido de forma muito fluida, sendo que poucas áreas foram pré-defi­nidas, como a administração, a biblioteca, a loja e o restaurante. Os demais ambientes são bastante flexíveis. A administração, assim como o restaurante, fica no segundo andar, mas no fundo do pavimento, escondida do público. Já no primeiro pavimento estão os ateliês multiusos, que são salas com uma divisão bastante flexível, criadas para receber palestras, treinamentos e cursos relacionados à cultura japonesa.

No térreo ficam os ambientes de exposição e o café, que são abertos para a rua. Nes­te local, grandes portas se abrem para uma pequena praça que é quase uma conti­nuação da praça Osvaldo Cruz e, também, uma continuação da calçada. Quando as portas da Japan House se abrem, esse espaço permite uma integração quase que absoluta dos ambientes internos e externos. A proposta do projeto é que ele permita essa flexibilidade de programas.

Planta Térreo

Primeiro Pavimento

Segundo Pavimento

Corte A

Corte B

Elevação